+351 960 155 426

Madrid: Mesmo aqui ao lado, as atrações imperdíveis que lhe falta descobrir

Image

Madrid: Mesmo aqui ao lado, as atrações imperdíveis que lhe falta descobrir

Por muitas vezes que já lá tenha ido, ou por muitos artigos de viagens que já tenha lido sobre a capital europeia mais próxima de Portugal, será que sabe mesmo tudo sobre a maior cidade espanhola? O Museo do Prado, o Museo Rainha Sofia, o Parque del Retiro e ainda o emblemático Estádio Santiago Bernabéu, são atracções do conhecimento geral e têm presença obrigatória em todos os roteiros de Madrid, além da sua famosa movida noturna…

Mas para si ou para todos aqueles que já parecem conhecer bem a capital espanhola, preparamos uma lista de pequenas curiosidades e locais secretos que podem ignorar sobre Madrid e quem sabe, inspira-lo a começar a planear uma nova viagem até a capital vizinha…Venga !

La Tabacalera: uma surpresa artística difícil de esquecer

Em poucas palavras, poderíamos definir La Tabacalera como um museu de arte alternativa, mas com um toque especial ao qual é difícil ficar indiferente. Esta antiga fábrica de tabacos foi convertida num lugar único, onde é possível desfrutar de uma enorme variedade de Street Art moderna no interior dos seus túneis e ao longo das paredes, bem como na parte exterior do edifício. Este espaço faz-nos logo render ao primeiro contacto, pois presentei-nos ainda com muitas actividades gratuitas que qualquer um pode assistir, como concertos, aulas de dança e até cursos de fotografia.

O edifício de La Tabacalera, cedido pelo governo à população de Madrid, tem funções de cariz social e é gerido e utilizado por diferentes entidades. Na verdade, a Fábrica de Tabacos está dividida em duas fracções: a Tabacalera, Promoción del Arte, gerida pela Subdirecção Geral de Promoção das Belas Artes do Ministério da Educação e Cultura, e o Centro Social Autogestionado La Tabacalera de Lavapiés, autogerido por quem o utiliza e é sem dúvida, o mais conhecido.

Para além dos famosos túneis forrados de grafitis, poderá encontrar diversas actividades promovidas pelas entidades existentes. Para citar algumas das mais conhecidas, o local oferece workshops de sabões artesanais, workshops de fotografia analógica e digital, mercados e feiras de artesanato promovidos pela Muestrarte, e reciclagem de bicicletas promovida pela Recicletos.

rácter mais social, a Madriguera dá apoio escolar às crianças do bairro, e o Claqué e CineForum Social, exibem sessões de cinema com filmes focados em problemas sociais, com um debate sempre no final. Habitualmente, os actores ou directores dos respetivos filmes são convidados para pequenas entrevistas no local. Mas existem mais, muito mais actividades!

Uma vez que se trata de um centro sem fins lucrativos, e que nenhuma das referidas actividades recebe pagamentos em dinheiro, todos os participantes prestam serviços em troca. As pessoas são convidados a ajudar la Tabacalera, seja com trabalhos de limpeza ou reparação, seja com bens materiais usados, mas com certa utilidade para o espaço.

Em 2014, os muros exteriores da Tabacalera acolheram um projecto em que foram convidados os grafiters mais conceituados de Madrid, para pintarem os painéis tristes e cinzentos ainda disponíveis. Esta obra ainda intacta, pode ser admirada na Calle Miguel Servet, ao contrário dos grafitis dos muros interiores que estão em constante mutação.

De entrada gratuita, la Tabacalera está aberto todos os dias até às 23h00. Durante a semana, a entrada é apenas permitida se for assistir a algum workshop. A melhor forma de lá chegar, é sair nas estações de Metro Embajadores ou Lavapiés. Um espaço imperdível na sua próxima visita a Madrid!

La Neomudéjar: um Centro de Artes de Vanguarda incontornável

La Neomudéjar é uma residência artística internacional menos conhecido que outros espaços semelhantes, como La Tabacalera. Instalado num antigo estaleiro ferroviário estatal pertencente à estação de Atocha, La Neomudéjar encontra-se fora do circuito artístico convencional, procurando dar saída a todo o tipo de disciplinas que habitualmente não entram nas galerias.

Localizado muito perto do Paseo del Arte, este Centro de Artes de Vanguarda é um museu dedicado às criações mais inovadoras. Neste espaço poderá assistir a festivais de videoarte, exposições, colóquios, arte urbana, performances e instalações artísticas, contando com artistas residentes que deixam a sua marca no próprio edifício.

O estilo Neomudéjar do edifício, corrente arquitectónica bem característica do século XIX, confere ao local uma identidade intimamente ligada à arte de Madrid, uma das cidades espanholas onde teve mais sucesso.

Este espaço reutilizado para criação e expressão artística, realiza visitas guiadas adaptadas a todos os públicos. É ideal para os amantes de arqueologia industrial, onde a tradição ferroviária e a vanguarda criativa misturam-se através das suas exposições. O tour inclui uma visita guiada pelo interior do edifício de La Neomudéjar, pelos ateliês dos artistas, e ainda pelas exposições temporárias em exibição.

Chamberi: a estação fantasma que o vai fazer viajar no tempo

Esta antiga estação de metro permite que volte no tempo, para sentir a atmosfera do século XX. Isto porque cada detalhe foi fielmente mantido como estava, quando a estação estava ainda em funcionamento. Uma visita que recomendamos vivamente, uma vez que não é todos os dias que se consegue apreciar uma estação fantasma em qualquer cidade!

Inaugurado em 1919, o Metro de Madrid tem atualmente mais de 280 quilômetros de vias e 14 linhas, que o tornam na terceira maior rede de metro da Europadepois de Londres e Moscovo. Localizada entre Bilbao e Iglesia, a estação de Chamberi, foi uma das estações da primeira linha a funcionar, no entanto, deixou de existir.  Muito pequena e localizada inconvenientemente numa curva, foi impossível modificá-la durante as obras de ampliação, dado que ficaria muito perto das estações vizinhas.

Por esse motivo, Chamberi foi desativada em 1966 e ficou fechada até 2006. Durante o tempo de encerramento, ouviram-se relatos de fantasmas a assombrar o local, mas posteriormente descobriu-se que não passavam de sem abrigos a vadiar pelas vias, em busca de um lugar para dormir.

Depois de restaurado, o local transformou-se no Centro de Interpretação da História do Metro de Madrid, mais conhecido por Andén Cero ou plataforma zero, em português. Neste regresso ao passado, vai encontrar a arquitetura e os móveis intactos tal como eram originalmente, e ainda poderá admirar cartazes com os preços em pesetas. Além disso, ainda é possível ver as ofertas especiais das corridas de touros da época, as cerâmicas que revestiam o teto e até, as propagandas de há 50 anos atrás.

O melhor de tudo é que a linha 1 continua a passar pelo local, reduzindo a velocidade ao passar pela estação, e permitindo assim ver todo o seu interior. Recomendamos absolutamente participar numa visita guiada, que além de ser gratuita, pode ser feita igualmente de maneira independente.

Ouvirá histórias interessantes, tal como o uso dado ao local como refúgio improvisado durante os bombardeamentos aéreos da Guerra Civil. Sabia que a estação foi revestida com azulejos brilhantes para reduzir o medo do escuro  e amenizar a sensação de claustrofobia  às pessoas que usavam um transporte subterrâneo pela primeira vez?

Desert City: uma fusão paisagística única na Europa

E se lhe disséssemos que Madrid tem o seu próprio deserto desde 2017? É verdade, mas o mais correcto é afirmar que, Madrid tem o seu primeiro jardim paisagístico experimental com um viveiro biotecnológico ultra moderno. Falamos de um espaço com mais de 5000 m2 e mais de 400 espécies exóticas, provenientes de todos os continentes, entre as quais se destacam os cactos.

Este local, inicialmente um descampado à beira da estrada no subúrbio madrileno de San Seastián de los Reyes, foi transformado numa paisagem de fantasia povoado por uma incrível coleção de cactos mais importante da Europa. Além de poder desfrutar de um vasto jardim botânico, o espaço conta ainda com uma estufa, um laboratório, terraços e miradouros, um centro para exposições, um restaurante e uma loja, onde poderá comprar vasos e acessórios variados.

O Desert City é um centro especializado em Xeropaisagismo em que, além de pesquisa e criação, procura educar os visitantes sobre o mundo dos cactos e outras plantas xerófitas, algumas originárias da Comunidade de Madrid. De forma muito resumida, o Xeropaisagismo dedica-se ao cultivo de jardins com plantas cujas características morfológicas permitem a sua adaptação em ambientes hostis e extremamente áridos, conferindo-lhes também uma maior resistência a doenças.

Este enorme complexo educacional, é todo ele sustentável e ecológico, pois são apenas usadas técnicas de cultivo que respeitam o meio ambiente. Na estufa e nos jardins foi instalado um sistema de recuperação de água de alta tecnologia, que ajuda o parque a reduzir os consumos. Os arquitectos responsáveis pelo projecto usaram um conjunto de soluções sustentáveis na construção ecológica do Desert City, tais como materiais pré-fabricados, vidro fotovoltaico transparente, controles solares e energia geotérmica.

Dividido em 5 zonas que coexistem de forma harmoniosa, o jardim funde os elementos estéticos das paisagens naturais das zonas áridas e semi-áridas do planeta, com plantas nativas de clima mediterrâneo, como a lavanda e o alecrim.

Um parque único que não lhe vai custar um único cêntimo para entrar. Totalmente grátis, não tem mesmo desculpa para não lhe fazer uma visita!

A impressionante arquitectura singular do Instituto Patrimonio Cultural de España

Não muito conhecido ainda, este edifício vai surpreende-lo pela sua construção em forma de coroa de espinhos. Considerado a jóia da arquitectura de Madrid, o Instituto Patrimonio Cultural de España, dedica-se à conservação e restauro dos bens culturais do património histórico espanhol.

Inserido dentro da corrente arquitectónica denominada Brutalismo, cuja linha principal é expressar os materiais utilizados em sua forma bruta, a construção do edifício demorou 30 anos, tendo sido concluída em 1975. Apesar da edificação ter passado por um processo longo e complicado, a estrutura impressiona pela sua peculiar composição circular, ornamentado por pináculos, que faz lembrar inevitavelmente uma coroa de espinhos.

Classificado como um dos edifícios de maior relevância em Madrid, tendo recebido inclusive o Prémio Nacional de Arquitectura, o seu interior destaca-se pela sua amplitude e luminosidade natural, proporcionada por uma enorme estrutura em vidro. As vigas pré-fabricadas são todas inspiradas em formas geométricas, como hexágonos, quadrados e octógonos, cuja estrutura se reflectem igualmente na decoração dos pavimentos.

Uma vez dentro do edifício, respira-se uma profunda atmosfera de suavidade e tranquilidade, muito graças a presença dos seus jardins interiores. Para além da componente arquitectónica, pode aprofundar igualmente os seus conhecimentos sobre o património histórico, artístico e cultural da Espanha. O IPCE presenteia-o com uma excepcional biblioteca de desenho circular, composta por mais de 40.000 livros sobre o tema!

 Sobrino de Botín: uma relíquia de sabores bem enraizada no coração de Madrid

Ok, este último tesouro não se encontra de todo escondido, pois está alojado bem no centro de Madrid, na agitada Plaza Maior. Mas tínhamos que falar inevitavelmente nele, nem que seja para dar mais sabor a este artigo. Sobrino de Botín é o estabelecimento com mais história da capital espanhola, mas também o restaurante mais antigo do mundo, registado no Livro de Recordes do Guiness.

Fundado em 1725, pelo cozinheiro francês Jean Botín e a sua mulher, o restaurante atravessou vários marcos da História, desde a Época do Iluminismo até à Guerra Civil Espanhola. Incrivelmente, o restaurante conserva ainda a mesma estrutura desde que abriu portas, e a oferta de pratos não variou muito ao longo dos tempos, continuando a servir essencialmente comida tradicional espanhola.

Depois de falecido o casal Botín, o restaurante ficou a cargo do sobrinho da senhora Botín, facto que conduziu ao surgimento do nome Sobrino de Botín. O restaurante tornou-se também conhecido, pelas frequentes visitas de ilustres clientes, nomeadamente Goya, o famoso pintor espanhol, bem como dos escritores norte-americanos Ernest Hemingway e F. Scott Fitzgerald.

Para viver uma experiência em pleno, recomendamos sentar numa das mesas do andar subterrâneo, o mais antigo pois, os andares seguintes são mais recentes, e peça o divinal prato da casa. Falamos do Cochinillo Asado, o leitão é tão esplendidamente bem assado que se desfaz na boca sem esforço e o sabor perceptível no final de cada garfada. Fiel aos sabores espanhóis, as opções da ementa vão desde, o cordeiro assado, lagosta, camarão, linguado fresco, até aos camarões e aos indispensáveis calamares.

Como deve imaginar, não dá para ir sem reservar primeiro…

Vamos partir à aventura e libertar os sentidos? Que é como quem diz…Vamos Fugir?